quarta-feira, 28 de março de 2012

Webquest

Webquest
Eli Lopes da Silva

Uma Webquest é uma atividade de pesquisa orientada, segundo Dodge (1997). Ela constitui-se de páginas publicadas na internet, nas quais o professor apresenta aos alunos uma proposta de uma atividade extraclasse, nas quais os recursos (fontes de informação) são advindos, em sua maioria, da internet, sendo que estes podem ser textos, vídeos, áudio, dentre outros. As partes constitutivas de uma Webquest, na proposta apresentada por Dodge (1997) são:
a) Introdução: é geralmente um texto no qual o professor faz a apresentação do assunto que os alunos irão pesquisar, estudar ou desenvolver. Faz também, se necessário, algumas aproximações conceituais, caso o assunto seja muito novo para o aluno. Elaborar uma boa introdução exige trabalho para o professor, pois requer que ele conheça bem o conteúdo do qual está propondo o trabalho, para ter condições de indicar as melhores e mais confiáveis fontes de informação e de fazer links entre os assuntos propostos no trabalho, tanto de fontes impressas quanto de fontes disponíveis na internet.
b) Tarefa: o professor expõe o que deve ser feito, seria o “produto”, propriamente dito. É interessante que a tarefa seja desafiadora de tal modo que o aluno não a encontre totalmente pronta na internet.
c) Processo: são apresentados os passos que devem ser seguidos para a realização da tarefa.
d) Fontes de informação: o professor apresenta referências bibliográficas, links na internet e outras fontes que achar importantes para a elaboração da tarefa. É interessante também que as referências possam ser comentadas, ou seja, o professor deve apresentar dicas ao aluno de que forma o tema é tratado em cada referência apresentada, na medida em que isso for possível. As fontes podem ser, por exemplo, textos, áudios, vídeos disponíveis no Youtube, entre outros.
e) Avaliação: o professor expõe como a tarefa será avaliada, de que forma será composto o conceito final do trabalho. É de extrema importância detalhar da melhor forma possível os requisitos para que o aluno obtenha o conceito ou a nota máxima no trabalho, para que ele saiba o quanto tem que empenhar-se para desenvolver a tarefa. Isso dá uma transparência no processo de avaliação, evitando que o aluno veja o processo avaliativo como uma incógnita na qual ele descobriria o resultado somente ao final, ou seja, na entrega do trabalho pelo aluno.
f) Conclusão: são considerações finais sobre os assuntos explorados. O professor pode retomar algumas questões que tenham sido apresentadas na introdução.
g) Créditos: pode-se fazer agradecimentos e colocar o nome do autor da Webquest. Também em créditos são apresentadas as referências bibliográficas que o professor utilizou para montagem da Webquest, tomando o cuidado para não confundir com as referências que são apresentadas no item “Fontes de informação”, pois essas últimas são aquelas nas quais os alunos deverão buscar informações para elaboração do trabalho. Outra informação importante nos créditos é destacar qual o público alvo para o qual a Webquest foi desenvolvida, tal como a turma, ano letivo, semestre, etc.
Como exemplo a Webquest da figura 1 foi desenvolvida pelo professor Eli Lopes da Silva, para os alunos da disciplina Mídia-Educação (que são professores), do curso de Pós-graduação Lato Sensu em Didática da Educação Superior da Faculdade de Tecnologia Senac Blumenau e da Faculdade de Tecnologia Senac Chapecó.

Figura 1 – Página de introdução da Webquest

Fonte: elaborado pelo autor
Na introdução (figura 1), o professor expõe o tema da atividade para os professores. Nela, podem ser apresentados, como se pode ver, hiperlinks para textos que darão subsídio teórico ao aluno para conhecer o assunto a ser trabalhado na atividade extraclasse.
Na tarefa (figura 2) os alunos irão conhecer o que deverão executar. Neste caso, como a os alunos são professores de uma pós-graduação em didática e trata-se de uma disciplina de Mídia-Educação, o desafio da tarefa está no fato que estes alunos (que são professores) deverão elaborar uma aula utilizando tecnologias digitais.

Figura 2 – Página da tarefa da Webquest

Fonte: elaborado pelo autor

No caso deste exemplo, o processo (figura 3) foi relativamente fácil de explicar, visto que os alunos já haviam tido um primeiro contado com o tema e já imaginavam que o processo seria simples de ser realizado.


Figura 3 – Página processo da Webquest

Fonte: elaborado pelo autor.

Nas fontes de informação previstas para esta tarefa, foram disponibilizados hiperlinks com anais de congressos de tecnologias na Educação, bem como fontes impressas (livros, artigos, entre outros).
Para a avaliação, neste caso, seriam consideradas ótimas aquelas aulas nas quais o recurso tecnológico utilizado estivesse coerentes com a proposta da aula. A conclusão, como dito, foi um fechamento da Webquest e nos créditos foram apresentados os públicos e o autor. Ela se encontra disponível com o título Mídia-Educação no endereço eletrônico http://webquest.ctai.senai.br. Este portal foi construído para publicação de Webquest em uma pesquisa que está sendo desenvolvida na Faculdade de Tecnologia Senai Florianópolis, que objetiva investigar o uso de Webquest nas práticas pedagógicas (SILVA; ABRAHÃO, 2010; SILVA; ABRAHÃO; JESUS, 2011; SILVA; SOUZA; CORRÊA, 2010).
Existem vários portais que disponibilizam Webquest. Um deles é mantido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial – SENAC/SP, disponível no endereço eletrônico http://webquest.sp.senac.br/. Marinho (2006) apresenta uma interessante Webquest sobre os computadores na Educação.

REFERÊNCIAS

DODGE, Bernie. Some Thoughts About WebQuests. San Diego State University (SDSU). [1997]. Disponível em . Acesso em: 28 mar. 2012.

MARINHO, Simão Pedro P. Computadores na Educação: sim ou não? [2006]. Disponível em: . Acesso em: 28 mar. 2012.

SILVA, Eli Lopes da; ABRAHÃO, Alessandro de Matos. Webquest e prática pedagógica: construção e uso de uma ferramenta para publicação. In: Congresso Nacional de Ambientes Hipermídia para Aprendizagem (CONAHPA), 5., 2010, Pelotas. Anais... Pelotas, RS: Universidade Católica de Pelotas, Universidade Federal de Santa Catarina, Universidade Federal de Pelotas, 2010. (CDROM). ISBN 978.85.60522.620.

SILVA, Eli Lopes da; ABRAHÃO, Alessandro de Matos; JESUS, Tauane de. Webquest e prática pedagógica: construção e uso de uma ferramenta – as primeiras impressões de professores e alunos. In: Encontro Nacional de Hipertextos e Tecnologias Educacionais, 4., 2011, Sorocaba. Anais... Sorocaba: UNISO, 2011. Disponível em: . Acesso em: 07 dez. 2011.

SILVA, Eli Lopes da; SOUZA, Diney Domingos de; CORRÊA, Alexandre Bastos. Construção, uso e avaliação de uma plataforma para Webquest baseada no Joomla: pesquisa-ação na Faculdade de Tecnologia Senai Florianópolis. In: COLÓQUIO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO, 7., 2010, Belo Horizonte. Anais do VII Colóquio Nacional de Pesquisa em Educação. São João Del Rei, MG: Editora UFSJ, 2010. ISBN 978-85-88414-60-0.

Um comentário:

Simão Pedro disse...

Eli, a parte dos Créditos não está na estrutura da WebQuest conforme proposta por Bernie Dodge. Sabemos que cabe ao professor trabalhar aspectos da ética. E um deles passa pelo respeito à propriedade intelectual. Por isso introduzi a parte do Crédito, para indicar as fontes das imagens utilizadas. Depois introduzi a parte da Bibliografia, para contribuir na atualização no tema da WebQuest do professor que adotará a WebQuest com seus alunos.