quinta-feira, 20 de outubro de 2011

O direito de falar!! Ou seria de calar?


"Não é qualquer um que tem direito a falar, nem todos podem falar de tudo. Há pessoas que falam não para dizer algo, mas simplesmente para garantir seu direito de falar e demonstrá-lo. Por exemplo, como a possibilidade de mandar, de dar ordens, exige uma relação hierárquica, uma autoridade, pode-se dar ordens com o único objetivo de afirmar que se possui autoridade." (MARTÍN-BARBERO, 2004, p.71).

REFERÊNCIA

MARTÍN-BARBERO, Jesús. Ofício de cartógrafo. São Paulo: Edições Loyola, 2004.

Um comentário:

Cróvis disse...

Realmente, há que se ter o direito de falar. Mas, muito mais importante é a obrigação de ouvir.

"Dê a todas pessoas os seus ouvidos, mas a poucas a sua voz." Shakespeare , William

Quando nos condicionados à ouvir, fazemos o exercício de respeito ao outro, a compreensão e a humildade de receber uma ideia diferente.

"Nada lisonjeia mais as pessoas do que o interesse que se presta ou se parece prestar àquilo que dizem."
Gide , André

No ensino por exemplo, falar é o imperativo - despejar uma ideia, teoria ou conceito sobre aprendizes - já o ouvir é um exercício nobre.

O única dificuldade encontrada nesse processo todo é que quanto mais achamos que sabemos ou somos, menos queremos ouvir, mais queremos falar.

"Os auditórios não são constituídos por pessoas que ouvem, mas por pessoas que aguardam a sua vez de falar." Karr , Alphonse

Exercite o ouvir com interesse, o calar com humildade e o falar com sabedoria. Verás resultados.

abraço