sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Tome sua piranha.

Hoje eu estava na fila de um restaurante para almoçar quando uma moça deixou cair sua piranha. Para quem não conhece, piranha é o nome popular daqueles prendedores de cabelo.
Gentilmente, eu peguei para a moça, pois ela estava com as mãos ocupadas e disse a ela:
- Tome sua piranha.
Ao que a moça gentilmente agradeceu.
Neste momento fiquei pensado a respeito do uso da vírgula e da importância de saber usá-la quando temos a presença de um vocativo na frase. O vocativo é um termo usado na frase para chamar a atenção da pessoa a quem nos dirigimos.
Se eu dissesse:
- Tome, sua piranha.
A expressão sua piranha se transformaria em um vocativo e estaria se referindo à pessoa e não ao objeto apanhado no chão.
Daí a importância da vírgula, pois a frase quando dita sem a tonalidade da vírgula, que foi como eu me expressei ao apanhar o objeto no chão, deixou claro que eu estava passando para a moça o objeto em questão.
Viva a língua portuguesa! Viva a vírgula, que nos salva em alguns momentos.

4 comentários:

Patricia disse...

Nom texto!!!!!

Patricia disse...

Quis dizer BOM texto....rs

JT disse...

Você é um cavalheiro, devolveu a piranha da piranha.

Professor, sou seu fã.

Jorge disse...

Outro exemplo da importância do uso da vírgula é este:

Irás voltarás nunca perecerás na guerra.

Sentido 1: Irás, voltarás, nunca perecerás na guerra.

Sentido 2: Irás, voltarás nunca, perecerás na guerra.